New Music International Festival 2013. De 30/11 a 08/12.
Novas Frequências 2013

O Festival

Do dia 30 de novembro ao dia 08 de dezembro o Rio de Janeiro recebe a 3ª edição do Novas Frequências, festival de música contemporânea de vanguarda e novas tendências. Depois de sediar duas edições na cidade e um evento especial em São Paulo, o Novas Frequências amplia o seu formato em 2013. Além das apresentações no teatro do Oi Futuro Ipanema – já uma marca registrada –, o festival vai realizar uma festa no clube La Paz e quatro painéis de discussão no POP (Polo de Pensamento Contemporâneo). São ao todo 14 atrações artísticas – todas inéditas na cidade – distribuídas em 9 dias de programação.

Entre as atrações estão o artista sonoro David Toop (Inglaterra), um dos maiores intelectuais da música contemporânea em uma apresentação que terá a participação especial do coletivo performático multimídia carioca Chelpa Ferro; o guitarrista e compositor Stephen O’Malley (Estados Unidos), sem dúvida o mais festejado nome na seara do heavy metal experimental; o mestre das paisagens sonoras Tim Hecker (Canadá); James Ferraro (Estados Unidos), um documentarista dos sons que acompanham nossa vida tecnológica; as trilhas de filme de terror imaginárias do duo Demdike Stare (Inglaterra); Miles (Inglaterra), um colecionador de vinis raros e amante de techno, dub e industrial em iguais proporções; a união de free jazz, eletrônica lo-fi e ritmos regionais brasileiros do São Paulo Underground (Brasil/ Estatos Unidos); as desconstruções abstratas da eletrônica promovidas por Lee Gamble (Inglaterra); o exercício de extrair o máximo possível de um velho teclado Casio realizado por Heatsick (Inglaterra); os drones e a música ambiente sombria do capixaba Gimu; os layers sonoros corrosivos do paulistano Babe, Terror; e o surrealismo non-sense eletrônico do paulista Paulo Dandrea e do mineiro Fudisterik.

704439_465696833469455_820735397_o
330696_466779820027823_320283669_o
331650_467137543325384_1993455355_o
458040_466371050068700_1482527498_o
457946_466387786733693_1160499624_o
386561_293465507359256_62330815_n
458287_465965490109256_1914219753_o
388233_293474150691725_608385232_n
393708_293469330692207_2120642748_n
703813_466779800027825_1585786636_o
706230_467520506620421_1522845370_o
389535_293474270691713_1462541277_n
469615_467520749953730_364119477_o
385937_293469657358841_1293785989_n
381378_293465594025914_470504991_n
386757_293465147359292_224270117_n

Sobre o Novas Frequências

O Novas Frequências nasceu da parceria entre os produtores culturais Chico Dub e Tathiana Lopes. Busca diversidade e o uso criativo de ferramentas tecnológicas em meio ao que podemos batizar de fine arts da música contemporânea. Não à toa, muitos dos artistas da programação se apresentam além dos palcos de festivais, em clubes e casas de shows como também em museus, galerias e eventos associados às artes plásticas. São artistas com promissoras carreiras dentro da vanguarda, que lançam seus trabalhos por selos fonográficos de respaldo internacional e ganharam reconhecimento nas mais importantes publicações da chamada nova música, como: The Wire, Fact, Resident Advisor e The Quietus.

Desde o nascimento do Novas Frequências existe a vontade de criar um desdobramento que envolve discussões teóricas sobre questões ligadas à música, ao som e ao comportamento contemporâneo. A partir deste desejo, em parceria com o programa de artes do British Council, o Transform, o Novas Frequências criou o Talking Sounds. Apresentados pelo idealizador e curador do festival Chico Dub e mediados pela dupla de professores, ensaístas e críticos de música Bernardo Oliveira e Fred Coelho, estes encontros vão colocar na mesma mesa importantes figuras britânicas e profissionais de diferentes meios – jornalistas, antropólogos, críticos. Quais são as ambições estéticas dos artistas de hoje? A falência da indústria musical tem afetado a produção musical? Como é a relação do público com a música em um momento onde os formatos físicos estão se extinguindo? Até que ponto a tecnologia da informação tem atrapalhado a evolução da música? Essas são algumas das questões que serão debatidas durante o Talking Sounds.

Sobre o novo desenho de formato, Chico Dub afirma:

“Dentro do universo da música experimental, da eletrônica de vanguarda e das novas tendências, os festivais que mais interessam a minha pesquisa são os que possuem múltiplas locações. Acredito muito em ações site specific, no sentido do ‘evento certo no lugar certo’. Quanto mais locais em um festival, mais janelas exploratórias se abrem; mais possibilidades artísticas surgem. Isso diz respeito sobre a importância de um festival como o Novas Frequências também ter, além de shows, uma pista de dança e um espaço para a troca de pensamento.”

O Novas Frequências tem o patrocínio da Oi, do Governo do Rio de Janeiro, da Secretaria de Estado de Cultura e da Lei Estadual de Incentivo à Cultura do Rio de Janeiro e o apoio do British Council. A empresa Cardapio de Ideias Comunicação assina a realização do projeto.

Ficha técnica

Chico Dub

Idealização, direção artística e curadoria

Formado em Publicidade & Propaganda pela PUC-RIO, Chico Dub, 34 anos, é produtor cultural e pesquisador musical. É curador convidado do Eletronika 2013, festival de novas tendências baseado em Belo Horizonte que realizará sua 15ª edição este ano. É idealizador e curador da série de coletâneas online Hy Brazil, registro que tem como objetivo mapear e divulgar a nova produção eletrônica e experimental brasileira para o mercado internacional. Foi um dos curadores e relações públicas do Sónar São Paulo 2012, filial do festival catalão de música avançada e arte new media Sónar. Foi co-idealizador e co-curador do Invasão Paraense, festival inteiramente dedicado a música do Pará que aconteceu em agosto de 2012, no CCBB de Brasília. Trabalhou na equipe de comunicação da exposição de arte contemporânea brasileira From The Margin To The Edge, que ocorreu na Casa Brasil, em Londres, durante as Jogos Olímpicos. De 2007 a 2011, foi assistente de direção e produtor do festival de performances audiovisuais Multiplicidade_Imagem_Som_inusitados. Em 2008, assinou a curadoria do Sky Lounge Multimídia, evento de música e performances audiovisuais que aconteceu no Memorial da América Latina, em São Paulo. É co-idealizador e roteirista do documentário Dub Echoes, primeiro longa-metragem a mostrar a importância do dub jamaicano para o nascimento do hip-hop e da música eletrônica. 

www.oesquema.com.br/chicodub

Tathiana Lopes/ Cardapio de Ideias

Realização, direção de produção e produção executiva

Com formação em Propaganda e Marketing e Gestão de Negócios pela FGV, Tathiana Lopes é fundadora e diretora da agência Cardapio de Ideias Comunicação e Eventos. Começou sua carreira há mais de 15 anos, atuando como produtora cultural, elaborando projetos e produzindo espetáculos teatrais, shows, cinema e teatro. Nos últimos anos vem realizando importantes projetos envolvendo empresas como Coca Cola, Natura, Brasilcap, O Globo, Shell, GSK, Votorantim, Vale, Petrobrás, entre outras. Criando, planejando e executando campanhas, eventos, promoções, festas, entretenimento, shows e eventos especiais. Esteve à frente de produções como o Lançamento da Casa Daros LatinoAmerica, Festival Multiplicidade, Projeto Paisagem de Vik Muniz para Rio+20, Lançamento Documentário Lixo Extraordinário indicado ao Oscar, Estúdio Coca Cola, Tim Festival, 30 Anos Rio Sul, Grande Prêmio Brasil do Jockey, Fanta Boombocha Club, entre outros, além de palestras para faculdades como PUC, Facha, ESPM e Estácio.

www.cardapiodeideias.com.br

Oi Futuro

Sobre o Oi Futuro

O Oi Futuro tem a missão de democratizar o acesso ao conhecimento para acelerar e promover o desenvolvimento humano. O principal foco das ações do instituto de responsabilidade da Oi é a promoção de um futuro melhor para os brasileiros, reduzindo distâncias geográficas e sociais. Os programas Oi Tonomundo, Oi Kabum! (escolas de arte e tecnologia), NAVE e Oi Novos Brasis atendem 600 mil crianças e jovens, desenvolvendo metodologias educacionais inovadoras, promovendo a inclusão digital e fornecendo conteúdo pedagógico para a formação de professores e educadores da rede pública. O Oi Conecta, um programa em parceria com o Governo Federal, leva banda larga a mais de 40 mil escolas públicas, beneficiando cerca de 26 milhões de alunos. Na área cultural, O Oi Futuro atua como gestor do Programa Oi de Patrocínios Culturais Incentivados, mantém dois espaços culturais no Rio de Janeiro (RJ) e um em Belo Horizonte (MG), além do Museu das Telecomunicações nas duas cidades. O Oi Futuro apóia, ainda, projetos aprovados pela Lei de Incentivo ao Esporte. A Oi foi a primeira companhia de telecomunicações a apostar nos projetos sócio-educativos inseridos na nova Lei.

www.oifuturo.org.br

 
Comments